Cor na corrida!

7 nov/14

Flats for summer ;-)

17 out/14

COURO: NOBREZA E EXCLUSIVIDADE INCOMPARÁVEIS

Muito antes das civilizações que conhecemos hoje dominarem o planeta, o homem já utilizava artefatos e materiais resistentes para se proteger do frio ou da aridez do solo, como o couro. Desde os primórdios da humanidade até a atualidade, esse material ocupa um lugar importante na indústria têxtil.

Apesar da sua origem pré-histórica, o couro nunca saiu de moda e até hoje está presente nas coleções de grandes estilistas do mundo inteiro. No Brasil, é considerado crime afirmar que um produto é feito em couro “sintético” ou “ecológico”, já que nenhum produto de origem industrial possui as reais propriedades do couro. Mas por que essa matéria prima é tão importante?

O couro é um material nobre, versátil e resistente, que está em constante transformação. Suas propriedades são diferentes das de outros materiais: o couro vem de processos naturais, tem um toque macio e permite ser moldado para criar vincos e estampas tão únicos quanto uma impressão digital.

Tudo no processo de transformação do couro é artesanal, dando aos artigos confeccionados com essa matéria prima um caráter único e exclusivo. Cada peça de couro é um artigo diferente, o que faz do toque humano no seu manuseio um cuidado indispensável.

Quer saber mais sobre o couro? Clique no link e ssista ao vídeo abaixo e veja a opinião dos maiores especialistas da indústria e moda:

2 out/14

Quem inventou a numeração dos sapatos?

Olhe para a sola do sapato que você está usando agora e responda: quantos números você encontrou? É muito provável que você tenha visto pelo menos três números diferentes: um para o Brasil, outro para a Europa e mais um para os Estados Unidos. Mas por que a numeração dos sapatos varia tanto?

Antes de tudo, vale saber que a primeira descrição oficial de um sistema de tamanhos para calçados foi criada na Europa do século XVII. Segundo a professora Ida Helena Thön, do Museu Nacional do Calçado, a numeração dos sapatos consta em um manual publicado na Inglaterra, o The Academy of Armony and Blazon. O manual trata de um acordo firmado entre os sapateiros para usar como base a medida de um quarto de polegada, ou 0,653 cm.

A métrica, no entanto, logo foi abandonada pelos próprios ingleses. Somente no século XVIII é que se instituiu como nova medida padrão um terço de polegada, o equivalente a um grão de cevada. No período da Revolução Industrial, a medida foi instaurada nas fábricas de calçados pelo americano Edwin B. Simpson, que transformou o número em uma unidade métrica chamada de ponto. Com algumas variações, é essa a medida que se mantém até hoje como padrão nos Estados Unidos.

Apesar de a métrica variar, a maioria das numerações ainda tem o ponto como referência. O Brasil e a Europa, por exemplo, se baseiam no ponto francês, ou dois terços de centímetro. Já o Japão optou por um padrão mais simples, no qual cada ponto equivale a um centímetro!

16 set/14